quinta-feira, junho 04, 2009

JARGÕES PROFISSIONAIS

Já passei há pouco da fase de rebeldia, do nacionalismo inconseqüente, dos questionamentos retóricos e parciais sobre fatos do dia-a-dia, direitos iguais, verdades, valores, etc. Porém, algo ainda me incomoda e, pior, pode nos prejudicar profissionalmente.

Lendo uma coluna no UOL sobre "Jargões Corporativos" me deparei com uma certa dificuldade de engolir tais termos estrangeiros na minha relação brasileira diária, como um (futuro) profissional de Comunicação Social.

Case, branding, briefing, feedback, follow up, target, (...)

São termos que são chamados de "técnicos" para a finalidade de tratarmos assuntos corporativos de maneira profissional (no caso, redundantemente, técnica). É importante sempre estarmos antenados a eles, pois em meio a um assunto qualquer com algum colega de profissão (independentemente da sua hierarquia) uma pergunta do tipo "Bãdi quê?" poderá culminar em comentário e riso geral (pela frente ou pelas costas), o que fará sua credibilidade ser no mínimo questionada dentro de uma equipe.

Mas quem disse que você não sabia o que era um orçamento (budget)? Ou que o estudo de caso (case) é fundamental para se traçar um planejamento, organizando todas informações necessárias, estudadas e analisadas (briefing) com o cliente a fim de então montar o resumo com os aspectos mais importantes (brief) como, por exemplo, o público-alvo (target) para direcionamento em uma campanha?

Informação nunca é demais e acho muito importante todos os profissionais, principalmente os que estão começando suas carreiras agora, ficarem atentos às pegadinhas do dia a dia dentro de um ambiente de trabalho. Sempre há um "colega" querendo puxar o seu tapete a qualquer deslize e tenho, particularmente, que tais expressões estrangeiristas são um prato cheio para tal.

De fato, ainda sou um idealista. Não sou contra a informação, porém sou a favor (quase desistindo) da valorização do conteúdo cultural pessoal e não do decoreba e do modismo. Nada me adianta repetir o que eu ouço se não sei exatamente O QUE e PARA QUE estou ouvindo.

Logo, para os que querem saber O QUE estão ouvindo para então poderem repetir (e se possível compartilhar tais informações), seguem dois links com um apanhado dos termos corporativos:

->Uol Economia

->Administradores.com.br - O portal da Administração

COMENTE

1 comentários:

Bruno Nery | 5 de junho de 2009 01:40  

Muito maneiro!

É interessante essa coisa dos jargões, de se criar uma linguagem própria pra cada profissão. E concordo que muitas vezes ñ é preciso usar uma palavra em inglês se temos um termo em português. Olha que sou professor de inglês, hein!

=P

Abraço, mulek!