sexta-feira, junho 12, 2009

Zeebo - Uma nova concepção de videogame?



O novo console da TecToy recém lançado no Brasil pode ser o responsável por uma grande revolução no mundo dos games, principalmente quando o assunto esbarra na pirataria. De fato, o Zeebo (R$ 499,00) não é uma poderosa plataforma de jogos virtuais, passa longe da concorrência com Playstation (II ou III), Nintendo Wii e XBox 360, mas surge com uma solução para aqueles que querem comprar jogos, esbarram no altíssimo preço nas lojas e vão procurar em um camelô mais próximo por RS10,00 ou RS15,00 sem muitas garantias.

Utilizando uma rede 3G própria, em parceria com a Claro, o usuário compra online seus jogos utilizando créditos, assim como é feito com celulares pré-pagos. Os Z-Credits, que podem variar de 1.500, 2.000 ou 3.000 créditos em pontos por cada cartão, são utilizados de acordo com o valor em créditos de cada jogo.

Todos os jogos são armezenados no HD e não há a possiblidade de serem transferidos por outro tipo de mídia que não seja a própria rede 3G, impossiblitando assim a distrbuição ilegal.



Assim que eu fiquei sabendo do Zeebo, me veio em mente o N-Gage, aquele aparelho da Nokia que não deu muito certo por aqui. Um celular com seu foco voltado aos jogos virtuais (eu prefiro dizer que era um mini-game que também servia de celular). Ao procurar mais sobre o Zeebo, encontrei na Wikipedia a informação de que "os jogos disponiveis são versões mobile, desenvolvidos para rodar originalmente em aparelhos como N-Gage da Nokia ou telefones celulares compativeis."

Agora tudo faz sentido. Não haveria motivo para um console aquém das plataformas já conhecidas e adoradas entrar no mercado apenas para lançar uma nova maneira de aquisição de jogos. Não do jeito que foi lençado, com evento especial, cobertura por vários portais de tecnologia e jogos. Me parece ser uma estratégia de vender/valorizar a produção que não deu certo para o caso do N-Gage. A pergunta que faço é "Por que daria certo agora?" Com o mundo cada vez mais portátil, por que um console ligado a TV, com seus cabos e seus joysticks faria sucesso, tendo aí a sempre ameaçadora "família Playstation"?

Algumas das estratégias de mercado são que o Zeebo foi desenvolvido para países emergentes com grandes problemas de pirataria e para usuários que não tem acesso a jogos mais avançados, o que me parece contraditório ao valor de quase R$500,00 pelo console, lembrando que em mercados negros populares por quase o mesmo valor se consegue um game do momento e pagando-se o mesmo valor básico anunciado por cada jogo do Zeebo são achados diversos CDs piratas.




Fontes
Zeebo - Site oficial
Olhar Digital
Wikipedia

COMENTE

2 comentários:

Bueno | 12 de junho de 2009 19:12  

Artigo sensato.

De fato, uma estratégia duvidosa, pelo valor do console.
Não acredito que o investimento para produção tenha sido absurdo, tal fato que leva a crer a "desova" dos vestígios N-Gage.

Bronksey | 12 de junho de 2009 20:33  

Justamente. Além de não concorre diretamente com nenhum console do momento.

Obrigado pela visita!